O custo-benefício das estratégias de prevenção e medidas contra as pandemias de gripe

Added April 22, 2020

Citation: Pérez Velasco R, Praditsitthikorn N, Wichmann K, et al. Systematic review of economic evaluations of preparedness strategies and interventions against influenza pandemics. PLoS One 2012; 7(2): e30333

De que se trata? Investimentos em saúde pública e estratégias prevencionistas são necessárias para limitar o alcance de pandemias como a da COVID-19. É importante saber o impacto econômico dessas intervenções e que os dados sobre a pandemia da gripe podem ser informativos.

Nesta revisão sistemática, os autores procuraram por pesquisas que avaliem o custo-eficácia das intervenções para controle e prevenção de pandemias como a de H1N1 em 2009 ou outros tipos de gripe. A busca foi realizada em setembro de 2011 e foi restringida a publicações em inglês, espanhol, alemão, tailandês e holandês. Incluíram vários tipos de análises econômicas: análises de custo-eficácia (14 estudos); análises de custo-utilidade (16); análises de custo-benefício (6); análises de custo-benefício e custo-eficácia combinadas (2); análises de custo-eficácia e custo-utilidade combinadas (1) e análises econômicas parciais (5). Todos, exceto dois, dos estudos foram baseados em modelos e a maioria (34/44) era focada em intervenções farmacêuticas como o uso de vacinas e remédios antivirais.

O que funciona: A combinação de intervenções farmacêuticas e não farmacêuticas, comparada às vacinas e medicamentos antivirais, é relativamente rentável para o combate as pandemias de gripe.

A combinação de distanciamento social, profilaxia utilizando antivirais e o fechamento de escolas juntamente ao uso de antivirais para contatos domésticos associado ao fechamento de escolas representa um grupo de medidas rentáveis contra pandemias de gripe .

O que não funciona: é improvável que a quarentena de contatos domésticos seja rentável, mesmo em países em que a maioria possui média ou baixa renda durante as pandemias de gripe.

O que não se sabe: A rentabilidade das intervenções focadas na população de forma geral ou focando em determinados grupos ainda é incerta quando tratamos de pandemias de gripe .

Nenhum dos estudos incluídos na pesquisa avaliou a relação custo-efetividade das medidas de desinfecção e investimento em higiene pública.

 

Aviso Legal: Este resumo foi escrito por funcionários e voluntários da Evidence Aid. O objetivo é tornar o conteúdo do documento original acessível aos responsáveis pela tomada de decisões envolvidos na pesquisa de evidências disponíveis sobre o coronavírus (COVID-19) que, inicialmente, podem não ter tempo para ler o relatório original na íntegra. Este resumo não pretende substituir o aconselhamento médico e de outros profissionais de saúde, associações profissionais, desenvolvedores de diretrizes ou governos nacionais e agências internacionais. Se os leitores deste resumo acharem que as evidências apresentadas são relevantes para a tomada de decisões, devem consultar o conteúdo e os detalhes do artigo original, bem como os conselhos e diretrizes oferecidos por outras fontes de informação, antes de tomar decisões. A Evidence Aid não pode ser responsabilizada por quaisquer decisões relativas ao coronavírus (COVID-19) tomadas com base apenas neste resumo.

Share