Medidas para reduzir os tempos de espera para as consultas de cuidados primários

Added June 6, 2020

Citation: Ansell D, Crispo JAG, Simard B, et al. Interventions to reduce wait times for primary care appointments: a systematic review. BMC Health Services Research 2017; 17: 295

De que se trata? A pandemia da COVID-19 está a colocar uma enorme pressão sobre os serviços de prestação de cuidados de saúde. Os trabalhos de investigação existentes sobre os efeitos das medidas destinadas a reduzir os tempos de espera nos cuidados primários podem fornecer informações aos responsáveis políticos que os ajudem relativamente a esta matéria.

Nesta revisão sistemática, os autores procuraram pesquisas que avaliam intervenções que pudessem diminuir os tempos de espera para as consultas de cuidados primários. Restringiram a pesquisa a publicações de língua inglesa e francesa, e fizeram a pesquisa em janeiro de 2015. Incluíram 7 estudos não-controlados antes e depois, 3 inquéritos e um estudo controlado antes e depois.

O que funciona: A marcação de acesso aberto, as chamadas telefónicas consagradas às consultas de acompanhamento, a presença de profissionais de enfermagem no pessoal, a triagem realizada por enfermeiros e clínicos gerais e as consultas por correio eletrónico reduziram os tempos de espera para as consultas de cuidados primários.

O que não funciona: Nada a observar.

O que não é claro: As barreiras à marcação de acesso aberto a alguns grupos de pacientes são incertas, e não é claro como se poderá mitigar estas barreiras.

O efeito cumulativo das intervenções para reduzir os tempos de espera para as consultas de cuidados primários não é claro.

Também são incertos os efeitos das intervenções avaliadas na qualidade dos cuidados, na continuidade dos cuidados e na utilização dos recursos de saúde, bem como a sua relação custo-eficácia.

 

Aviso Legal: Este resumo foi escrito por funcionários e voluntários da Evidence Aid. O objetivo é tornar o conteúdo do documento original acessível aos responsáveis pela tomada de decisões envolvidos na pesquisa de evidências disponíveis sobre o coronavírus (COVID-19) que, inicialmente, podem não ter tempo para ler o relatório original na íntegra. Este resumo não pretende substituir o aconselhamento médico e de outros profissionais de saúde, associações profissionais, desenvolvedores de diretrizes ou governos nacionais e agências internacionais. Se os leitores deste resumo acharem que as evidências apresentadas são relevantes para a tomada de decisões, devem consultar o conteúdo e os detalhes do artigo original, bem como os conselhos e diretrizes oferecidos por outras fontes de informação, antes de tomar decisões. A Evidence Aid não pode ser responsabilizada por quaisquer decisões relativas ao coronavírus (COVID-19) tomadas com base apenas neste resumo.

Share