Máscaras faciais no ambiente comunitário, como proteção contra vírus respiratórios

Added August 30, 2020

De que se trata? Intervenções físicas para evitar a transmissão da COVID-19 são importantes. As máscaras faciais são um dos métodos que estão a ser utilizados para tentar alcançar este objectivo.

Foram realizadas várias revisões sistemáticas relevantes. Mais informações, incluindo citações e links para as revisões completas, estão disponíveis posteriormente neste resumo..

O que foi descoberto:

MacIntyre et al. (2020) relataram que o uso de máscara facial na comunidade por pessoas que não apresentam sintomas de COVID-19 pode reduzir a transmissão comunitária. Observaram, também, que o uso de máscaras por pessoas sintomáticas na comunidade pode ser um fator importante no uso universal de máscaras faciais na comunidade. O uso de máscara facial foi eficaz com ou sem medidas adicionais de higiene das mãos.

À data das revisões por Cowling et al. (2010) e bin-Reza et al. (2012), existiam poucas provas que apoiassem a eficácia das máscaras faciais em ambientes comunitários. Observaram que as máscaras faciais são melhor utilizadas como parte de uma abordagem multifacetada, incluindo a higiene das mãos e restrições ambientais, tais como o distanciamento físico.

Essas três revisões relataram que:

  • o uso precoce, correto e consistente de máscaras faciais pode melhorar a sua eficácia
  • a utilização de máscara facial pode reduzir a transmissão secundária de infeções respiratórias dentro das residências
  • a utilização da máscara facial por pacientes que já estão infectados pelo vírus pode reduzir a propagação respiratória subsequente
  • a utilização de máscaras faciais e medidas de higiene das mãos podem reduzir a transmissão de infeções respiratórias em ambientes universitários.

Barasheed et al. (2016) relataram que o uso de uma máscara facial em eventos com grande concentração de pessoas pode diminuir a probabilidade de desenvolver uma infeção respiratória. O desconforto e a dificuldade em respirar foram as barreiras mais comuns relatadas em relação ao uso da máscara facial em eventos com elevada concentração de pessoas.

Quais são as revisões:

Citation: MacIntyre CR, Chughtai AA. A rapid systematic review of the efficacy of face masks and respirators against coronaviruses and other respiratory transmissible viruses for the community, healthcare workers and sick patients. International Journal of Nursing Studies. 2020 Aug:108;103629.

Nesta revisão rápida, os autores procuraram ensaios randomizados de proteção respiratória por profissionais de saúde, pacientes com doença e membros da comunidade. Limitaram a sua revisão a publicações em inglês e fizeram as suas pesquisas até 17 de abril de 2020. Incluíram 8 ensaios relevantes baseados em cenários comunitários e 5 centrados no controlo da fonte (utilização de máscaras faciais por doentes).

Citation: Cowling BJ, Zhou Y, Ip DK, et al. Face masks to prevent transmission of influenza virus: a systematic review. Epidemiology and Infection. 2010;138(4):449–56.

Nesta revisão sistemática, os autores procuraram estudos de eficácia que avaliassem máscaras faciais e respiradores para reduzir a transmissão dos vírus da gripe. Limitaram a sua pesquisa a artigos publicados em inglês até agosto de 2009. Incluíram 6 ensaios aleatorizados, 4 estudos observacionais e 1 estudo experimental voluntário, em diversos cenários (cuidados de saúde, comunidade e experimental).

Citation: bin-Reza F, Lopez Chavarrias V, Nicoll A, et al. The use of masks and respirators to prevent transmission of influenza: a systematic review of the scientific evidence. Influenza and Other Respiratory Viruses. 2012;6(4):257–67.

Nesta revisão sistemática, os autores procuraram a investigação que avaliava as máscaras e respiradores na prevenção da transmissão da gripe e de outros vírus respiratórios. Procuraram artigos publicados em inglês até janeiro de 2011. Identificaram 8 ensaios aleatorizados e 9 estudos observacionais.

Citation: Barasheed O, Alfelali M, Mushta S, et al. Uptake and effectiveness of facemask against respiratory infections at mass gatherings: a systematic review. International Journal of Infect Diseases. 2016;47:105–11.

Nesta revisão sistemática, os autores procuraram a investigação que avaliava as máscaras faciais para prevenir a transmissão de infeções respiratórias em eventos com elevada concentração de pessoas. Limitaram a sua pesquisa a artigos publicados em inglês até fevereiro de 2016. Identificaram 23 estudos observacionais e 2 ensaios (incluindo 1 ensaio aleatorizado).

Outras revisões sobre este tópico:

A Evidence Aid também preparou resumos combinados sobre proteção respiratória para profissionais de saúde e utilização de máscaras faciais por indivíduos sintomáticos na comunidade.

 

Aviso Legal: Este resumo foi escrito por funcionários e voluntários da Evidence Aid. O objetivo é tornar o conteúdo do documento original acessível aos responsáveis pela tomada de decisões envolvidos na pesquisa de evidências disponíveis sobre o coronavírus (COVID-19) que, inicialmente, podem não ter tempo para ler o relatório original na íntegra. Este resumo não pretende substituir o aconselhamento médico e de outros profissionais de saúde, associações profissionais, desenvolvedores de diretrizes ou governos nacionais e agências internacionais. Se os leitores deste resumo acharem que as evidências apresentadas são relevantes para a tomada de decisões, devem consultar o conteúdo e os detalhes do artigo original, bem como os conselhos e diretrizes oferecidos por outras fontes de informação, antes de tomar decisões. A Evidence Aid não pode ser responsabilizada por quaisquer decisões relativas ao coronavírus (COVID-19) tomadas com base apenas neste resumo.

Share