Intervenções de administração antimicrobiana em serviços de urgência

Added May 1, 2020

Citation: Losier M, Ramsey TD, Wilby KJ, et al. A systematic review of antimicrobial stewardship interventions in the emergency department. Annals of Pharmacotherapy 2017; 51(9): 774-90

Free to view: No

O que é isto? A COVID-19 está a pôr os sistemas e profissionais de saúde sob uma enorme pressão. As investigações existentes sobre o uso de programas de prevenção e controlo de infeção e de resistência aos antimicrobianos em serviços de urgência pode fornecer informação sobre estratégias de assistência.

Nesta revisão sistemática, os autores pesquisaram estudos que descrevessem o uso de programas de prevenção e controlo de infeção e de resistência aos antimicrobianos em serviços de urgência e que avaliassem intervenções conexas com vista a melhorar o atendimento ao doente ou os resultados de saúde. Não restringiram as suas pesquisas por tipo de publicação, mas restringiram-nas por artigos publicados em inglês antes de novembro de 2016. Incluíram 43 estudos, 36 dos quais usaram um modelo não controlado do tipo antes e depois.

O que foi encontrado: A maioria dos estudos tinha um risco alto ou pouco claro de viés.

A educação e orientação do doente ou do prestador ou a implementação de orientações clínicas foram as intervenções mais frequentemente participadas.

O impacto das intervenções mostrou resultados variáveis, mas alguns benefícios dos programas de prevenção e controlo de infeção e de resistência aos antimicrobianos podem incluir uma melhoria na prestação de cuidados, uma diminuição no uso de antimicrobianos e um melhor cumprimento das orientações.

O que não se sabe: Embora os programas de prevenção e controlo de infeção e de resistência aos antimicrobianos nos serviços de urgência possam melhorar o atendimento ao doente, a intervenção ideal ou conjunto de intervenções ideais não são precisas.

Havia poucos estudos de controlo e ‘feedback’ sobre a intervenção destes programas de prevenção em serviços de urgência, pelo que os seus efeitos são imprecisos.

Nenhum estudo avaliou a autorização prévia do uso de antimicrobianos em serviços de urgência, pelo que os efeitos desta intervenção são incertos.

 

Aviso Legal: Este resumo foi escrito por funcionários e voluntários da Evidence Aid. O objetivo é tornar o conteúdo do documento original acessível aos responsáveis pela tomada de decisões envolvidos na pesquisa de evidências disponíveis sobre o coronavírus (COVID-19) que, inicialmente, podem não ter tempo para ler o relatório original na íntegra. Este resumo não pretende substituir o aconselhamento médico e de outros profissionais de saúde, associações profissionais, desenvolvedores de diretrizes ou governos nacionais e agências internacionais. Se os leitores deste resumo acharem que as evidências apresentadas são relevantes para a tomada de decisões, devem consultar o conteúdo e os detalhes do artigo original, bem como os conselhos e diretrizes oferecidos por outras fontes de informação, antes de tomar decisões. A Evidence Aid não pode ser responsabilizada por quaisquer decisões relativas ao coronavírus (COVID-19) tomadas com base apenas neste resumo.

Share