Intervenções da mHealth em países de baixo e médio rendimento

Added May 12, 2020

Citation: White A, Thomas DSK, Ezeanochie N, et al. Health worker mHealth utilization: a systematic review. Computers, Informatics, Nursing 2016; 34: 206-13

De que se trata? A pandemia da COVID-19 esta a colocar pressão sobre os sistemas e profissionais de saúde. Investigação existente sobre a utilização de aplicações de tecnologia móvel para a saúde (mHealth) podem fornecer informações úteis para o auxílio por parte dos decisores políticos.

Nesta análise sistemática, os autores pesquisaram investigação acerca de intervenções da mHealth (mensagens de texto, mensagens de voz e texto, registos médicos electrónicos, aplicações de smartphones e assistentes de dados pessoais) dirigidas a profissionais de saúde em países de baixo e médio rendimento.  Eles restringiram a sua pesquisa a artigos publicados entre março de 2009 e maio de 2015. Incluíram 14 artigos relativos a dados de saúde recolhidos numa visita de um paciente de forma a facilitar o atendimento, 7 artigos relativos à comunicação entre um profissional de saúde e um paciente, 12 artigos relativos à comunicação entre profissionais de saúde e 6 artigos relativos à recolha de dados para supervisão ou motivos relacionados com a investigação.

O que foi constatado: Ferramentas de tecnologia móvel, tais como smartphones e tablets, trazem benefícios aos profissionais de saúde e aos seus pacientes e melhoram a prestação de cuidados de saúde em países de baixo e médio rendimento, mas os efeitos nos resultados sanitários são incertos.

As intervenções da mHealth facilitaram uma melhor comunicação com os pacientes e levaram a poupanças de combustível e tempo aos profissionais de saúde e aos pacientes em países de baixo e médio rendimento.

Mensagens de texto e telefonemas entre a comunidade e os profissionais de saúde nas clínicas melhoraram as competências e a confiança, a comunicação, os resultados sanitários e a adesão aos protocolos de tratamento em países de baixo e médio rendimento.

Mensagens de texto e telefonemas entre a comunidade e os profissionais de saúde nas clínicas melhoraram as competências e a confiança, a comunicação, os resultados sanitários e a adesão aos protocolos de tratamento em países de baixo e médio rendimento.

 

Aviso Legal: Este resumo foi escrito por funcionários e voluntários da Evidence Aid. O objetivo é tornar o conteúdo do documento original acessível aos responsáveis pela tomada de decisões envolvidos na pesquisa de evidências disponíveis sobre o coronavírus (COVID-19) que, inicialmente, podem não ter tempo para ler o relatório original na íntegra. Este resumo não pretende substituir o aconselhamento médico e de outros profissionais de saúde, associações profissionais, desenvolvedores de diretrizes ou governos nacionais e agências internacionais. Se os leitores deste resumo acharem que as evidências apresentadas são relevantes para a tomada de decisões, devem consultar o conteúdo e os detalhes do artigo original, bem como os conselhos e diretrizes oferecidos por outras fontes de informação, antes de tomar decisões. A Evidence Aid não pode ser responsabilizada por quaisquer decisões relativas ao coronavírus (COVID-19) tomadas com base apenas neste resumo.

Share