Fatores de risco e “cascata” de fatores de risco em surtos de doenças transmissíveis em emergências humanitárias complexas

Added April 23, 2020

Citation: Hammer CC, Brainard J, Hunter PR. Risk factors and risk factor cascades for communicable disease outbreaks in complex humanitarian emergencies: A qualitative systematic review. BMJ Global Health 2018; 3(4): e000647

De que se trata? A preparação e controlo da pandemia da COVID-19 em emergências humanitárias complexas (EHC) constitui um desafio considerável dado o risco acrescido de surtos de doenças transmissíveis em EHC. Identificar estes riscos ajudará a abordá-los.

Nesta revisão sistemática qualitativa, os autores visaram identificar fatores de risco e “cascatas” de fatores de risco para surtos de doenças transmissíveis em ECH pós-1990. Não restringiram a pesquisa pelo idioma da publicação mas limitaram a literatura a publicações datadas no período compreendido entre 1994 e 2017 e realizaram a pesquisa em maio de 2017. Incluíram 26 estudos (publicados em inglês, francês e espanhol) na sua síntese temática.

O que foi encontrado: Os principais fatores de risco para surtos de doenças transmissíveis em emergências humanitárias complexas são a má qualidade da água, saneamento e higiene; superpopulação, especialmente em acampamentos; deslocação maciça da população; nutrição (má-nutrição, escassez de alimentos, contaminação de alimentos) más condições de vida, especialmente a exposição a poluição do ar interior; insegurança; ausência de infraestruturas adequadas; fraca resposta humanitária; ambiente (clima, habitats vetoriais, contacto animal acrescido, doenças endémicas); colapso dos serviços de saúde pública e aumento da transmissão de VIH. Estes fatores de risco interagem entre si formando complexos fatores de risco em cascata.

A deslocação da população em massa e a insegurança são o principal impulsionador dos fatores de risco para os surtos de doenças transmissíveis.

O endereçamento destes fatores de risco em surtos de doenças transmissíveis em ECH deve iniciar-se através de uma avaliação rápida e exaustiva das necessidades para identificar os fatores de risco mais críticos, com vista ao desenvolvimento de uma estratégia de intervenção baseada em provas.

O que é incerto: A melhor forma de realizar uma avaliação de risco em EHC é incerta e existem falhas de conhecimento significativas nas barreiras operacionais e estruturais que afetam estas avaliações de risco.

Situações de aprisionamento, como na Síria e na República do Iémen, não receberam a atenção devida.

 

Aviso Legal: Este resumo foi escrito por funcionários e voluntários da Evidence Aid. O objetivo é tornar o conteúdo do documento original acessível aos responsáveis pela tomada de decisões envolvidos na pesquisa de evidências disponíveis sobre o coronavírus (COVID-19) que, inicialmente, podem não ter tempo para ler o relatório original na íntegra. Este resumo não pretende substituir o aconselhamento médico e de outros profissionais de saúde, associações profissionais, desenvolvedores de diretrizes ou governos nacionais e agências internacionais. Se os leitores deste resumo acharem que as evidências apresentadas são relevantes para a tomada de decisões, devem consultar o conteúdo e os detalhes do artigo original, bem como os conselhos e diretrizes oferecidos por outras fontes de informação, antes de tomar decisões. A Evidence Aid não pode ser responsabilizada por quaisquer decisões relativas ao coronavírus (COVID-19) tomadas com base apenas neste resumo.

Share