Distúrbios psicológicos em crianças refugiadas

Added April 23, 2020

Citation: Bronstein I, Montgomery P. Psychological distress in refugee children: a systematic review. Clinical Child and Family Psychology Review 2011; 14(1): 44-56

Free to view: No

De que se trata? A pandemia da COVID-19 está a causar um stress considerável nos migrantes e pessoas deslocadas internamente (PDI). As crianças, em particular as que são definidas como refugiadas ou PDI, são vulneráveis aos efeitos psicológicos dos factores de tensão traumáticos durante o processo de migração. A pesquisa sobre a epidemiologia da saúde mental das crianças refugiadas pode produzir conhecimento para a recomendação de intervenções.

Nesta revisão sistemática, os autores pesquisaram estudos sobre a epidemiologia da saúde mental das crianças refugiadas e requerentes de asilo que se encontravam em países ocidentais. Restringiram a pesquisa a estudos publicados entre 2003 e 2008 e conduziram a pesquisa em fevereiro de 2008. Incluíram 22 estudos de seis países de asilo (3003 crianças, originárias de mais de 40 países).

O que se encontrou: Os estudos variaram na definição e medidas dos problemas nas crianças, mas estes incluíram stress pós-traumático (SPT) (em 19% a 54% das crianças), depressão (3% a 30%) e diversos graus de problemas emocionais e comportamentais.

As variáveis demográficas, experiências traumáticas cumulativas pré-migração e fatores de tensão pós-migração parecem influenciar os níveis de sofrimento nas crianças refugiadas e requerentes de asilo em países ocidentais.

O que é incerto: A comparação dos dados relativos à prevalência de problemas de saúde mental nas crianças refugiadas constitui um desafio dada a influência de diversas variáveis contextuais que afetam o sofrimento, como os fatores demográficos, fatores de stress pós-migração, como a obtenção do estatuto de asilo e os níveis de apoio disponíveis .

 

Aviso Legal: Este resumo foi escrito por funcionários e voluntários da Evidence Aid. O objetivo é tornar o conteúdo do documento original acessível aos responsáveis pela tomada de decisões envolvidos na pesquisa de evidências disponíveis sobre o coronavírus (COVID-19) que, inicialmente, podem não ter tempo para ler o relatório original na íntegra. Este resumo não pretende substituir o aconselhamento médico e de outros profissionais de saúde, associações profissionais, desenvolvedores de diretrizes ou governos nacionais e agências internacionais. Se os leitores deste resumo acharem que as evidências apresentadas são relevantes para a tomada de decisões, devem consultar o conteúdo e os detalhes do artigo original, bem como os conselhos e diretrizes oferecidos por outras fontes de informação, antes de tomar decisões. A Evidence Aid não pode ser responsabilizada por quaisquer decisões relativas ao coronavírus (COVID-19) tomadas com base apenas neste resumo.

Share