Departamentos de urgência: reduzindo o uso por parte de usuários frequentes

Added June 30, 2020

Citation: Soril LJ, Leggett LE, Lorenzetti DL, et al. Reducing frequent visits to the emergency department: a systematic review of interventions. PloS one. 2015;10(4): e0123660.

De que se trata? A pandemia de Covid-19 está a colocar pressão sobre os serviços de saúde. Pesquisas existentes, sobre os efeitos de intervenções para reduzir o uso de serviços de urgência, podem fornecer informações úteis para os responsáveis políticos.

Nesta revisão sistemática, os autores procuraram artigos sobre os efeitos e o impacto de custo de intervenções destinadas a reduzir o uso de serviços de urgência por adultos que frequentemente usam serviços de urgência. Eles restringiram seus pesquisadores a artigos publicados em inglês e fizeram a pesquisa entre janeiro de 2015. Eles incluíram 4 ensaios clínicos randomizados e 13 estudos de coorte comparativos não randomizados, provenientes da Austrália e Nova Zelândia (3 estudos), Canadá (1), Escócia (1), Suécia (2), Taiwan (1) e EUA (9)

O que funciona: O gerenciamento de casos teve a base de evidências mais rigorosa e gerou uma economia de custos moderada, mas com reduções variáveis no uso de serviços de urgência por adultos que frequentemente usavam serviços de urgência.

O que não funciona: Planos de cuidados individualizados e intervenções de partilhamento de informações não reduziram significativamente o número de visitas ao departamento de urgência por adultos que costumavam usar serviços de urgência.

O que é incerto: As intervenções clinicamente mais benéficas e económicas para impedir o uso frequente de serviços de urgência por adultos são incertas.

 

Aviso Legal: Este resumo foi escrito por funcionários e voluntários da Evidence Aid. O objetivo é tornar o conteúdo do documento original acessível aos responsáveis pela tomada de decisões envolvidos na pesquisa de evidências disponíveis sobre o coronavírus (COVID-19) que, inicialmente, podem não ter tempo para ler o relatório original na íntegra. Este resumo não pretende substituir o aconselhamento médico e de outros profissionais de saúde, associações profissionais, desenvolvedores de diretrizes ou governos nacionais e agências internacionais. Se os leitores deste resumo acharem que as evidências apresentadas são relevantes para a tomada de decisões, devem consultar o conteúdo e os detalhes do artigo original, bem como os conselhos e diretrizes oferecidos por outras fontes de informação, antes de tomar decisões. A Evidence Aid não pode ser responsabilizada por quaisquer decisões relativas ao coronavírus (COVID-19) tomadas com base apenas neste resumo.

Share