As visitas a casa para a prevenção de debilitação e mortes de idosos

Added May 6, 2020

Citation: Grant S, Parsons A, Burton J, et al. Home visits for prevention of impairment and death in older adults: a systematic review. Campbell Systematic Reviews 2014; 10(1): 1-85

O que é: A pandemia da COVID-19 tem provocado uma grande tensão nos sistemas de saúde, interferindo na rotina dos serviços de saúde e assistência social. A pesquisa existente acerca de visitas a idosos pode oferecer informação relevante àqueles encarregues da formulação de políticas públicas nesta área.

Nesta revisão sistemática da Campbell, os autores procuraram ensaios aleatorizados de visitas a casa a fim de prevenir a debilitação, institucionalização e morte em idosos. A língua de publicação não foi uma restrição e fizeram as suas pesquisas em dezembro de 2012. Foram incluídos 64 estudos com uma variedade de critérios de elegibilidade (28,642 participantes). As visitas a casa envolveram apenas enfermeiros (27 estudos); outros profissionais incluindo visitantes de saúde, fisioterapeutas, assistentes sociais, médicos (20); ou uma combinação de profissionais de saúde, normalmente um enfermeiro juntamente com outro profissional (17).

O que funciona: Nada a observar.

O que não funciona: No geral, visitas a casa não foram provadas como eficazes para a manutenção da saúde e autonomia de idosos na comunidade.

As visitas a casa preventivas não reduziram a mortalidade e não tiveram um efeito significativo no número de pessoas que foram institucionalizadas.

O que é incerto: A população alvo das visitas a casa de idosos varia muito, tal como os fatores de risco e o conteúdo dos programas de visita a casa, portanto é possível que uma combinação de componentes da visita a casa, em particular as populações e as configurações, tenham benefícios modestos, mas é incerto.

 

Aviso Legal: Este resumo foi escrito por funcionários e voluntários da Evidence Aid. O objetivo é tornar o conteúdo do documento original acessível aos responsáveis pela tomada de decisões envolvidos na pesquisa de evidências disponíveis sobre o coronavírus (COVID-19) que, inicialmente, podem não ter tempo para ler o relatório original na íntegra. Este resumo não pretende substituir o aconselhamento médico e de outros profissionais de saúde, associações profissionais, desenvolvedores de diretrizes ou governos nacionais e agências internacionais. Se os leitores deste resumo acharem que as evidências apresentadas são relevantes para a tomada de decisões, devem consultar o conteúdo e os detalhes do artigo original, bem como os conselhos e diretrizes oferecidos por outras fontes de informação, antes de tomar decisões. A Evidence Aid não pode ser responsabilizada por quaisquer decisões relativas ao coronavírus (COVID-19) tomadas com base apenas neste resumo.

Share