As intervenções de higiene das mãos reduzem doenças devido a infecções respiratórias agudas nas instituições infantis e escolares e no contexto doméstico nos países de baixa e média renda.

Added April 13, 2020

Citation: McGuinness SL, Barker SF, O’Toole J, et al. Effect of hygiene interventions on acute respiratory infections in childcare, school and domestic settings in low- and middle-income countries: a systematic review. Tropical Medicine and International Health 2018; 23: 816-33

De que se trata?  Em geral as infecções respiratórias agudas (IRA) são mais comuns nas crianças, particularmente nos países de baixo e médio rendimento (PBMR). As intervenções que melhorem as práticas de higiene podem reduzir este fardo da doença e os dados comprovados poderão informar a tomada de decisões sobre a pandemia da COVID 19.

Nesta revisão sistemática, os autores procuraram ensaios aleatorizados sobre os efeitos das intervenções de higiene nos resultados das IRA num PBMR, entre crianças e adultos em instituições infantis e escolares, e no contexto doméstico. Fizeram as suas pesquisas em Outubro de 2017 e identificaram ensaios de intervenções destinadas a promover práticas de higiene em ambientes comunitários, 3 nos centros de acolhimento de crianças, 4 nas escolas e 7 no contexto doméstico.

O que funciona: nos contextos de acolhimento de crianças, as intervenções de higiene das mãos reduziram o absenteísmo e a doença associados às IRA.

Nas escolas, as intervenções de higiene das mãos reduziram o absenteísmo resultante das IRA e a gripe confirmada em laboratório.

No contexto doméstico, as intervenções de higiene das mãos e o sabão diminuíram a doença relacionada com as IRA e a pneumonia entre as crianças nas zonas urbanas.

O que não funciona: Nada notado.

O que é incerto: nos ambientes onde as intervenções de higiene das mãos não parecem reduzir os efeitos das IRA, é incerto se isso se deve a intervenções ineficazes ou a relatórios inconsistentes da conformidade das intervenções.

 

 

Aviso Legal: Este resumo foi escrito por funcionários e voluntários da Evidence Aid. O objetivo é tornar o conteúdo do documento original acessível aos responsáveis pela tomada de decisões envolvidos na pesquisa de evidências disponíveis sobre o coronavírus (COVID-19) que, inicialmente, podem não ter tempo para ler o relatório original na íntegra. Este resumo não pretende substituir o aconselhamento médico e de outros profissionais de saúde, associações profissionais, desenvolvedores de diretrizes ou governos nacionais e agências internacionais. Se os leitores deste resumo acharem que as evidências apresentadas são relevantes para a tomada de decisões, devem consultar o conteúdo e os detalhes do artigo original, bem como os conselhos e diretrizes oferecidos por outras fontes de informação, antes de tomar decisões. A Evidence Aid não pode ser responsabilizada por quaisquer decisões relativas ao coronavírus (COVID-19) tomadas com base apenas neste resumo.

Share