A transferência de tarefas entre profissionais de saúde pode reduzir os custos de saúde

Added May 13, 2020

Citation: Seidman G, Atun R. Does task shifting yield cost savings and improve efficiency for health systems? A systematic review of evidence from low-income and middle-income countries. Human Resources for Health 2017; 15: 29

De que se trata? A pandemia de COVID-19 está a colocar uma enorme pressão sobre sistemas de saúde e sobre profissionais de saúde. Uma possível medida de ação pode ser o uso de transferência de tarefas de modo a deslocar os cuidados a alguns grupos de pacientes de profissionais de saúde mais qualificados para os menos qualificados.

Nesta revisão sistemática, os autores pesquisaram estudos que reportaram os custos de programas de um modelo de transferência de tarefas na condução de uma atividade ou serviço comparativamente a um modelo que não envolvia transferência de tarefas e foram realizados em países de baixos ou médios rendimentos. Eles limitaram a sua pesquisa a estudos publicados em língua inglesa, e realizaram-na em março de 2016. Identificaram 34 estudos que analisavam os custos implicados na transferência de tarefas na África subsariana (22 estudos), na Ásia (8) e na América Central ou do Sul (4).

O que encontraram: Descobriram que a transferência de tarefas variava de acordo com o contexto e envolvia mais do que apenas a transferência de atividades para profissionais de saúde da comunidade.

A transferência de tarefas, tomando os profissionais de saúde da comunidade como exemplo, pode reduzir os custos de saúde para pacientes e sistemas de saúde em países de baixos e médios rendimentos.

As reduções de custos derivadas da transferência de tarefas podem melhorar a eficiência do sistema de saúde no contexto de cuidados primários e comunitários.

A maior parte da evidência disponível era das unidades de cuidados primários e comunitários, e os efeitos da transferência de tarefas dentro de hospitais, em assistência secundária, terciária e cuidados especializados são incertos.

A evidência disponível disseminou-se através de várias especialidades, tornando difícil a formação de conclusões acerca da redução de custos da transferência de tarefas para doenças específicas, excluindo a tuberculose, a SIDA e a malária.

 

Aviso Legal: Este resumo foi escrito por funcionários e voluntários da Evidence Aid. O objetivo é tornar o conteúdo do documento original acessível aos responsáveis pela tomada de decisões envolvidos na pesquisa de evidências disponíveis sobre o coronavírus (COVID-19) que, inicialmente, podem não ter tempo para ler o relatório original na íntegra. Este resumo não pretende substituir o aconselhamento médico e de outros profissionais de saúde, associações profissionais, desenvolvedores de diretrizes ou governos nacionais e agências internacionais. Se os leitores deste resumo acharem que as evidências apresentadas são relevantes para a tomada de decisões, devem consultar o conteúdo e os detalhes do artigo original, bem como os conselhos e diretrizes oferecidos por outras fontes de informação, antes de tomar decisões. A Evidence Aid não pode ser responsabilizada por quaisquer decisões relativas ao coronavírus (COVID-19) tomadas com base apenas neste resumo.

Share